Dados na midia- lua hora 41610700

  1. O uso dos dados
    No mundo conectado em que vivemos tudo que fazemos é transformado em dados. Nós nos tornamos grandes pacotes de informação que as empresas competem e estudam para cada vez mais estarem mais perto de prever o que queremos e o que nos simboliza como indivíduos.
    Na palestra do Luís Machado foi possível entender um pouso sobre o estado do uso dos dados pelas empresas e como eles podem ser benéficos e maléficos para a experiência cotidiana do usuário. Pelos diferentes gráficos e dados fornecidos Foi possível entender que basicamente todos os graus do nosso acesso online são monitorados e leiloados pelas empresas, isso não de um todo ruim, pois por um lado recebemos propagandas apenas daquilo que nós agrada, isso pra muitos que na entendem a funcionalidade por traz desses spots é um grande serviço gratuito que as marcas o fornecem. Porém, ao analisarmos friamente o que está por traz dessas tecnologias, percebemos que para que essas propagandas customizadas aparecerem nas diferentes timelines é necessário que as marcas tenham acesso aos seus hábitos de acesso, seus gostos, seus desejos e até o que você sente ao ser exposto a determinado conteúdo. Isso cria um grande uma grande pergunta que é até onde estamos dispostos a expor nossos eus para que as marcas nós forneçam os serviços que desejamos?
    A resposta dessa pergunta é bastante individual, e para o palestrante as tecnologias e serviços que seriamos expostos ao abrir mão desses dados individuais são extremamente superiores ao se nós isolarmos das mesmas. Para termos uma melhor perspectiva do potencial que a liberação de nossos dados tem para vivermos melhor, podemos olhar para alguns exemplos trazidos pelo Luís Machado como a empresa Emotient, que tinha a proposta de analisar os dados que sua expressão facial apresentava, para entender sua emoção em um determinado contexto e fornecer para o analisador a capacidade de melhorar o serviço que estava sendo fornecido a partir da analise desses. Outra empresa que a partir da análise de dados permite a melhora da vida no cotidiano é a IBM com sua I.a( inteligência artificial) o Watson, permitiu a analise de uma infinidade de informações sobre pintores e o povo brasileiro para criar uma interação responsiva aos usuários da pinacoteca.
    Dessa forma podemos concluir que a analise de dados é uma faca de dois gumes, que permite que por um lado sejamos bombardeados e estimulados a sempre estarmos consumindo novos produtos que se adéquam ao nosso perfil. E por outro permite que novas tecnologias que nós garantirá uma vida mais fácil e otimizada sejam criadas. Por fim o que fica é um alerta para nós informármos das formas que os dados são fornecidos para as empresas, para que possamos ponderar até onde queremos esse tipo de exposição
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s